• Próximos Cursos

    FMI – Dicionário Prático

    F.M.I., abrev. de Fundo Monetário Internacional, fundo de emergência que disponibiliza dinheirinho fresco a um país quando este abusou e gastou mais do que devia e não tem outra solução que não seja ir lá bater à porta. Esta ajuda não é isenta de custos, tal como uma Dona Branca dá, mas exige em troca a garantia de que esse dinheiro vai ser bem gasto.

    Exemplos de uso:

    Recurso ao FMI, usa-se esta expressão para se ir anunciando disfarçadamente a vinda dos funcionários do FMI. Como aquela anedota, em que para ir preparando a senhora da morte do gato, se lhe manda um telegrama a dizer que “o gato está no telhado.STOP”

    Intervenção do FMI em Portugal, ou seja naquele momento em que o FMI nos der aí uns 35 mil milhões deles para salvar o país da bancarrota – que caso contrário ia ficar mesmo mal – vão os funcionários do FMI abrir um escritório em Lisboa para controlar as contas do estado:  como não há divisa para desvalorizar, nem se pode mexer lá muito nas taxas de juro, o que vai acontecer nesta intervenção vai ser:

    • desemprego na função pública: finalmente vai-se fazer a lipoaspiração da função pública;
    • fim de institutos públicos como por exemplo, IND, INOFOR, INGA, IICT, AI e ICNB, 1
    • TGV – vai ficar a ver navios ou em águas de bacalhau; aeroporto de Beja, se ainda  não está acabado, não vai ser agora.
    • SCUT – se ainda não tiverem todas portagens, vai ser então.
    • Subsídio de Natal – como diria um ex-formando meu: já fostes! E provavelmente para sempre
    • Reformas, se não todas, as mais altas também já eram
    • E certamente ainda outras medidas

    Eu ainda sou do tempo do FMI, já no passado foi necessária a intervenção de FMI. Em 1977 e em 1983. A propósito destas intervenções veja mais abaixo os vídeos de Silva Lopes.

    Frases que se dizem por aí 2:

    • “Só virá o FMI para Portugal se Portugal recorrer ao Fundo de Estabilização Europeu, mas eu espero bem que não recorra” – Cavaco Silva
    • “Não seria uma desgraça se o FMI viesse, mas é melhor que não venha e acho que não vai ser necessário, felizmente” – Mário Soares.
    • “Portugal deve rejeitar (…) todas as pressões, insinuações, sugestões, campanhas, operações de chantagem, que têm como alvo reintroduzir as políticas do FMI em Portugal” – Francisco Louçã

    Qualquer uma destas posições tenta negar a evidência de que o FMI vai entrar. É uma tentativa de enganar os portugueses e de os acalmar, enquanto estes tentam arranjar uma solução que sabem são incapazes. É a mesma atitude do gerente da empresa que chamado a prestar contas dos falhanços é incapaz de admitir que fez burrada e portanto incapaz de ver que a situação a que levou a empresa é de quase falência. Vai tentar de tudo para pôr as culpas num qualquer bode expiatório, enquanto vai tentando salvar algum para si.

    Vídeos:



    Silva Lopes fala da vinda do FMI em 1983 e do que poderá ser agora

    PS (post scriptum) – vai uma aposta em como em março vamos ter o FMI? Vai uma aposta???

    Leia ainda esta entrevista com o mesmo Silva Lopes do JN:

    ——————-

    Notas:

    1 Encontra-os nesta página: http://www.agroportal.pt/Estado/institu.htm e aqui
    2 in DN 27 Setembro 2010

    Tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *